Vamos falar sobre a importância do Setembro Amarelo?

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil, no mundo e suas formas de prevenção. O texto de hoje foi feito em parceira com a psicóloga Brenda Favetto.

É essencial falarmos sobre o suicídio, pois a cada suicídio, ou tentativa, provoca uma devastação emocional entre parentes e amigos. Infelizmente, eu entendo essa dor, vivi a morte de uma pessoa maravilhosa na família e te digo que é um sofrimento que perdura durante anos e que ecoa por gerações. A esperança, é que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez casos poderiam ser prevenidos.

Pelos números oficiais, são 32 brasileiros que morrem por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.

Através da observação dos casos de suicídios, pode-se constatar que há certos fatores que estão relacionados a uma maior ou menor probabilidade de cometer o suicídio. Por exemplo, as mulheres tentam o suicídio quatro vezes mais que os homens, mas os homens o cometem (isto é, morrem devido à tentativa) três vezes mais do que as mulheres. Isso se explica pelo fato de os homens utilizarem métodos mais agressivos e potencialmente letais nas tentativas, ao passo que as mulheres tentam suicídio com métodos menos agressivos.

Como é o suicídio na infância e adolescência

O suicídio é um fenômeno ainda raro na infância, mas apresenta aumento na adolescência. Alguns fatores estão fortemente ligados ao maior risco de suicídio nessa faixa etária, alguns relacionados ao indivíduo e outras relacionadas ao seu entorno. Dentre os principais fatores riscos podemos enumerar a imaturidade emocional, além da presença de comportamento agressivo, a impulsividade, a incapacidade de adiamento de recompensa, a existência de transtornos mentais associados e situações de violência, abandono e negligência.

Outro problema bastante grave e que está presente no dia a dia do ambiente escolar  e das crianças e adolescentes são as situações de bullying, que pode ser considerado uma situação de abuso emocional crônico ou agudo.

A avaliação de uma criança ou adolescente com ideação (ideias) planejamento ou tentativa de suicídio necessita ser realizado por profissionais especializados no tratamento dessa população. Mas é fundamental que a família e a escola estejam atentas a esse comportamento, sabendo identificar fatores de risco e encaminhar o mais rápido possível essas crianças e adolescentes para tratamentos individualizados, que envolve tratamentos psicológicos, orientação familiar e escolar, além do uso de medicações específicas em alguns casos.

Entender que o comportamento suicida pode estar presente mesmo em crianças e adolescentes é importante para poder mudar esse cenário. Recentemente, houve um seriado no canal de streaming Netflix abordando o tema de forma real e honesta, mostrando algo que muitas vezes não queremos ver nos adolescentes. O seriado se chama 13 Reasons  Why e pode auxiliar pais e escolas a entenderem esse processo e intervir.

A série conta a história de uma estudante que comete suicídio após uma série de falhas culminantes, provocadas por pessoas ao seu redor. Antes de Hannah se suicidar, ela deixa com uma caixa com fitas cassetes gravadas com treze motivos pelos quais ela tirou a própria vida.

Leia mais um pouco sobre a série no Hapyness , clicando aqui.

Por que as pessoas se matam?

As pessoas podem tentar ou cometer suicídio por diversos motivos, ainda segundo o relatório da OMS, aponta que em 90% dos casos, o suicida teve algum diagnóstico ligado a doenças da saúde mental, como por exemplo, a depressão. Veja esses dados:

Pessoas que apresentem tais indicadores devem ser observadas mais atentamente. Entretanto não se pode ter certeza alguma a respeito, pois a ideia de morrer pode mudar na mente da pessoa, de um momento para outro.

Atualmente, há o CVV (Centro de Valorização da Vida) que oferece atendimento via telefone, e-mail, sype e presencial para apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo.

Você quer ajudar alguém ou precisa de ajuda? Ligue 188 ou 141.

Falar sobre o suicídio requer cuidado e conhecimento. Vamos ficar atentos e cuidar de quem amamos e de nós.

Comments

  1. Heliomar da Silva says:

    Esqueci de comentar,assisti um filme sobre bulliyng e a garota tenta suícidio por causa disso,chama A girl like her,muito bom,recomendo!

  2. Heliomar da Silva says:

    Passei por isso,há 26 anos quando perdi minha irmã mais nova,na época ela tinha 24 anos e não se falava tanto sobre o tema,como se fala hoje(muito pouco),o suícida ele quer tirar a dor,mais assassinando todos que o amam,tirando a própria vida,não devemos julgá-los,pois não sabemos o que se passa naquela cabeçinha tão confusa!Qtas vezes eu pensei em tirar minha vida,mais pensei nos meus filhos,faço tratamento com psquiatra e psicóloga,tenho depressão e transtorno de boderline,continuo minha luta contra mim mesma todos os dias,então,quanto mais falrmos sobre o assunto,mais vamos ajudar as pessoas,nos ajudaremos uns aos outros!Vamos nos abrir,vamos abrir nossos ouvidos e dar atenção á quem precisa!

  3. bruna says:

    ótimo! é super importante trazer pro blog este assunto tão polêmico. ♥

    1. Obrigada!! Realmente é algo que precisa ser falado

Deixe um comentário